ITAITUBA: PROJETO DA ADTUR, CDL E INSTITUTO CHICO MENDES INCENTIVA PRÁTICA DO TURISMO NO PARQUE NACIONAL DA AMAZÔNIA

CORREDORES DE RUA PRESTAM HOMENAGEM AO PARQUE POR MAIS DE QUATRO DÉCADAS DE FUNDAÇÃO COM A 1ª CORRIDA DE SELVA >>> Os atletas foram conduzidos à Base Uruá, a 63 quilômetros do centro de Itaituba, pela BR-230, em um ônibus. Eles passaram a noite na Pousada Portal da Amazônia, na Vila Rayol, e se deslocaram para o ponto de concentração logo cedo, a tempo de apreciar um espetáculo único. O dia amanhece com um clima de baixa temperatura, e o sol aparece tímido por trás do rio Tapajós, em um ponto de corredeiras e afloramento de rochas. Esta é a primeira imagem que aparece quando chegamos ao Parque Nacional da Amazônia. A unidade de conservação se estende por quase um milhão de hectares, entre os estados do Pará e Amazonas. O Parque foi criado via decreto em 1974 e, ao longo dos anos, foi pouco explorado, servindo apenas como um campo de pesquisa, por conta dos seus milhares de ecossistemas. Agora, através de um projeto encabeçado pela Associação para o Desenvolvimento do Turismo, a ADTur, em parceria com CDL, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Itaituba, que comemora 38 anos de fundação, foi proposto ao ICMBio, o Instituto Chico Mendes, responsável por gerenciar a unidade de conservação, o incentivo à prática do turismo no Parque Nacional. A primeira atividade foi uma corrida de selva, que contou ainda com o apoio dos grupos de corrida de rua.
Antes da partida, foi feita a checagem do equipamento e a preparação dos atletas com um breve aquecimento. E, no horário marcado, foi dada a largada. Cem atletas participaram da I Corrida de Selva, que aconteceu por um percurso de 10 quilômetros, envolvendo as trilhas pelo meio da selva, e um pequeno trecho da Transamazônica, rodovia que passa por dentro do Parque. O clima quente e úmido exerce forte pressão nos corredores, mas a maioria deles já tem certa experiência com esse tipo de desafio. Mesmo assim, em pouco tempo já era possível notar o cansaço físico se manifestando.
Mas valeu a pena cada etapa do desafio. “A recompensa está no contato com a natureza, e em contemplar as belezas naturais que se encontram no caminho. Esse é o maior propósito do evento, que ainda serviu como homenagem pelos quarenta e cinco anos de criação do Parque Nacional da Amazônia”, destaca Rodrigo Mota, coordenador de Turismo da Prefeitura de Itaituba e presidente da ADTur. E a corrida até que foi bem rápida. Menos de cinqüenta minutos depois, Samir Cléber Salomão cruza a linha de chegada como o primeiro colocado na classificação geral, seguido de Denilson de Moura Barbosa e Adriano Soares.
No feminino, a Suelene Damasceno chegou na frente e conquistou mais uma vitória no atletismo, desta vez um título inédito, já que é a primeira conquista dela em ambiente de selva. Para os organizadores, a primeira corrida de selva foi um grande sucesso. Agora, é preparar a segunda edição, para o próximo ano. “Sempre tivemos essa intenção de fazer uso dos recursos naturais do Parque através do turismo, mas é preciso que haja essa parceria com órgãos, entidades e instituições social e ambientalmente responsáveis para que esses objetivos sejam alcançados”, ressalta Adriano Barbosa, analista ambiental, que integra a gerência do Parque Nacional da Amazônia.
Mauro Torres

325 total views, 1 views today

Deixe uma resposta

Hora Mais WhatsApp Chat
Chame via WhatsApp